Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

uma longa história

07
Jan20

coisinhas que me deixam extremamente feliz #3

A pessoa decidiu que queria furar de novo as orelhas. Teimosa como sou, lá fui eu. Fiz o quinto furo nas duas. Como se sabe, furar as orelhas deixa-as "um pouco" doloridas, e na hora de dormir é sempre um pesadelo. Por acaso a noite correu bem, não senti dor nenhuma! Talvez já esteja habituada, não sei. Mas acreditava mesmo que iria ser uma noite complicada, até porque foi logo nos dois lados.

Antes de dormir, e depois do nosso ritual de boa noite, comentei com o Joãozinho que possivelmente ia ter dores, ao que ele responde:

— Se não conseguires dormir chama-me.

— Oh, e vais fazer o quê?

— Ficar acordado contigo.

09
Dez19

nove de dezembro

Hoje quero escrever um texto leve, daqueles simples e carregados de sentimentos. Porque hoje é, nada mais nada menos, do que um dia extremamente importante.

Hoje comemoramos, juntos, o nosso quarto aniversário de namoro. Contra todas as expectativas, quatro anos já é muita fruta.

O nosso começo foi tão lindo e inesperado. Quase tirado de um livro de fantasia. Depois complicou. Aliás, foi complicado durante muito tempo. Erramos muito, pisamos muitas vezes o pé do outro nesta dança que é uma relação. Entretanto foi melhorando aos poucos... Sem nunca deixar de ser complicado, claro. E eu chorava, porque se realmente fosses tu o tal, não seria tão difícil. Mas eu sabia que eras. E do nada, este ano, bem lá no começo, tudo se transformou em algodão doce. Eu mudei, tu mudaste, ambos nos tornamos pessoas melhores um para o outro. Ambos largamos a espada e balançamos o lenço branco da paz.

Durante estes quatro anos aprendi muita coisa. Sobre ti, sobre o mundo, sobre a vida e até sobre mim mesma. Aprendi que não vale a pena fazer planos... Eles nunca se vão realizar ao milímetro! Aprendi a ser paciente, a ser menos egoísta. Também aprendi a ler sinais, a entender uma troca de olhares, a compreender o poder de uma palavra mal dita. Aprendi que a pessoa que nos leva ao céu pode, muitas vezes, jogar-nos lá de cima. E vai doer, mais do que bater com o dedo pequenino do pé na quina de um móvel. E porra, bater com o dedo pequenino do pé na quina de um móvel dói pra caralho. Mas de facto, somos apenas humanos, humanos que aos tropeços se esforçam diariamente para serem melhores. E a viagem de volta ao céu vai compensar totalmente os danos.

Sabes, eu sei que és tu. Foi diferente no primeiro beijo, no primeiro abraço. Eu sei que és tu porque tenho esta vontade louca de ser tua para sempre, até ao fim das nossas vidas. E depois, claro, assombrarmos os filhos da puta de quem não gostamos. Ninguém mais me faz sentir o que tu fazes... Me põe os cabelos em pé como tu, me acalma como tu, me dá prazer em viver como tu, me arranca sorrisos e gargalhadas como tu, me deixa a sonhar acordada com o futuro como tu. Porque se eu tenho futuro é graças a ti... Que chegaste, me abanaste corpo, ossos e órgãos, e me fizeste acordar.

Eu agradeço muito por te ter na minha vida. Agradeço a Deus, ao Universo, aos astros, ao alinhamento de planetas, ao acaso, ao destino, à sorte, ao que quer que te tenha colocado no meu caminho!

Parabéns a nós! 

09
Nov19

fofinho foi embora

O Joãozinho foi passar o fim de semana ao Norte em "trabalho" e eu fiquei cá, a sentir-me só e abandonada, verdadeiramente largada às traças (naaada dramática).

A questão é que eu odeio as viagens grandes que ele faz. Ultimamente não tem feito, mas quando faz só eu sei como me sinto. São praticamente quatro horas dentro de uma carrinha, às vezes a acelarar que eu bem sei. Ainda por cima está a chover! É como eu digo... Se pudesse guardava-o numa bolinha para estar sempre protegido.

Eu odeio estrada, não tenho a carta porque não tenho condições mas também porque não me sinto pronta para conduzir, odeio andar de carro, odeio que acelerem quando estou dentro de um carro, odeio andar de táxi porque os taxistas que eu apanho parece que estão a fazer corridas contra todos os restantes veículos da estrada. E como se não bastasse ainda tenho o dom de ser super pessimista, então acho sempre que vai acontecer alguma coisa. No início nem dormia! Se ele só chegasse a Lisboa às quatro da manhã, só às quatro da manhã é que eu adormecia. Hoje já consigo dormir, mas antes dele sair agarro-me a chorar... Isso não falha.

Contudo, apesar de eu ficar sempre muito stressada, também sei que é algo que ele gosta de fazer, até porque a música já faz parte da vida dele há praticamente dez anos... E se deixou de fazer viagens e etc regularmente, foi para poder passar mais tempo comigo...

o estaminé

criado em agosto de 2019. no início chamava-se "ser de verdade", porém a pseudo autora decidiu que "uma longa história" assentava melhor, já que a sua vida era, de facto, uma longa história. aqui encontras pensamentos, desabafos, traumas, experiências, opiniões e um quê - mas só mesmo um quê - de idiotice

quem escreve

mariana ⋅ 23 anos ⋅ rainha do mau feitio ⋅ ex-nómada pelo mundo da blogosfera ⋅ apaixonada por escrita mas com sérios problemas em se expressar

mais sobre mim

baú

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D