Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

uma longa história

07
Jan20

coisinhas que me deixam extremamente feliz #3

A pessoa decidiu que queria furar de novo as orelhas. Teimosa como sou, lá fui eu. Fiz o quinto furo nas duas. Como se sabe, furar as orelhas deixa-as "um pouco" doloridas, e na hora de dormir é sempre um pesadelo. Por acaso a noite correu bem, não senti dor nenhuma! Talvez já esteja habituada, não sei. Mas acreditava mesmo que iria ser uma noite complicada, até porque foi logo nos dois lados.

Antes de dormir, e depois do nosso ritual de boa noite, comentei com o Joãozinho que possivelmente ia ter dores, ao que ele responde:

— Se não conseguires dormir chama-me.

— Oh, e vais fazer o quê?

— Ficar acordado contigo.

09
Dez19

nove de dezembro

Hoje quero escrever um texto leve, daqueles simples e carregados de sentimentos. Porque hoje é, nada mais nada menos, do que um dia extremamente importante.

Hoje comemoramos, juntos, o nosso quarto aniversário de namoro. Contra todas as expectativas, quatro anos já é muita fruta.

O nosso começo foi tão lindo e inesperado. Quase tirado de um livro de fantasia. Depois complicou. Aliás, foi complicado durante muito tempo. Erramos muito, pisamos muitas vezes o pé do outro nesta dança que é uma relação. Entretanto foi melhorando aos poucos... Sem nunca deixar de ser complicado, claro. E eu chorava, porque se realmente fosses tu o tal, não seria tão difícil. Mas eu sabia que eras. E do nada, este ano, bem lá no começo, tudo se transformou em algodão doce. Eu mudei, tu mudaste, ambos nos tornamos pessoas melhores um para o outro. Ambos largamos a espada e balançamos o lenço branco da paz.

Durante estes quatro anos aprendi muita coisa. Sobre ti, sobre o mundo, sobre a vida e até sobre mim mesma. Aprendi que não vale a pena fazer planos... Eles nunca se vão realizar ao milímetro! Aprendi a ser paciente, a ser menos egoísta. Também aprendi a ler sinais, a entender uma troca de olhares, a compreender o poder de uma palavra mal dita. Aprendi que a pessoa que nos leva ao céu pode, muitas vezes, jogar-nos lá de cima. E vai doer, mais do que bater com o dedo pequenino do pé na quina de um móvel. E porra, bater com o dedo pequenino do pé na quina de um móvel dói pra caralho. Mas de facto, somos apenas humanos, humanos que aos tropeços se esforçam diariamente para serem melhores. E a viagem de volta ao céu vai compensar totalmente os danos.

Sabes, eu sei que és tu. Foi diferente no primeiro beijo, no primeiro abraço. Eu sei que és tu porque tenho esta vontade louca de ser tua para sempre, até ao fim das nossas vidas. E depois, claro, assombrarmos os filhos da puta de quem não gostamos. Ninguém mais me faz sentir o que tu fazes... Me põe os cabelos em pé como tu, me acalma como tu, me dá prazer em viver como tu, me arranca sorrisos e gargalhadas como tu, me deixa a sonhar acordada com o futuro como tu. Porque se eu tenho futuro é graças a ti... Que chegaste, me abanaste corpo, ossos e órgãos, e me fizeste acordar.

Eu agradeço muito por te ter na minha vida. Agradeço a Deus, ao Universo, aos astros, ao alinhamento de planetas, ao acaso, ao destino, à sorte, ao que quer que te tenha colocado no meu caminho!

Parabéns a nós! 

26
Out19

a melhor notícia que eu podia ter recebido!

Lembram-se do Migo? Fiz um post sobre ele no dia 24 de setembro, há exatamente um mês e dois dias. Foi um texto que esteve nos Destaques, o que fez com que chegasse a mais pessoas, por isso me senti tão grata à equipa. Foi também o segundo post que mais me orgulhei de escrever, só perde para este.

Eu prometi trazer aqui atualizações sobre o cãozinho, mas a verdade é que as notícias que fui recebendo nunca foram de facto novidades, por isso não as postei. Mas hoje trago a melhor que podia ter recebido: o Migo foi adotado!

A senhora que tanto nos ajudou a conseguir tirar o Migo da rua (onde estava abandonado) mandou-me há cerca de uma hora mensagem com a novidade. Ainda de bónus recebi uma foto dele sentadinho e a sorrir com a língua de fora, feliz.

Estou com lágrimas nos olhos. Tanto chorei pelo Migo... A primeira vez foi quando cheguei até ele e o abracei, questionando o porquê de alguém fazer uma maldade tão grande com um ser tão precisoso. As restantes foram à noite antes de adormecer ou durante o dia quando simplesmente pensava nele e na possibilidade de ele não estar bem. Agora sinto-me mais leve. Choro de felicidade por ele ter uma nova oportunidade de ser feliz, mas também choro de tristeza por não o ter visitado como prometi a ele, a vós e a mim mesma. Desculpa-me, Migo. Perdoa-me!

Enquanto estava com ele no dia em que o encontrei (e falo disso no meu post) houve um momento em que ele me olhou nos olhos com aqueles olhões castanhos cor de mel e eu soube que o meu propósito era aquele, que aquilo não era só tirar um cão da rua, era mais do que isso... Era dar-lhe uma nova oportunidade, era salvar uma vida.

 

A vocês, equipa e pessoas que leram o meu post e de alguma forma se sentiram tocados pelo mesmo, agradeço muito e espero que se sintam felizes com as novidades.

Aos novos donos, que sempre o respeitem e amem tanto quanto ele merece!

E a ti, meu Migo, obrigada por me teres mostrado que a vida é mais do que existir! Desejo, com todo o meu coração, que nunca mais te falte o que um dia faltou e que nunca mais passes pelo que passaste! Sê feliz no teu novo lar. Nunca te vou esquecer! 

10
Out19

hoje a minha princesa casa os números!

Hoje é o aniversário da minha melhor amiga. Não, não é uma pessoa, é uma cadela! E sim, tem sido e é a minha melhor amiga há mais de uma década. Problemas com isso? A solução é a cruzinha no canto superior direito. Obrigada e passar bem.

 

Minha princesinha, desejei-te por muito tempo! Fazia desenhos de cães e dava-os à minha mãe para ela se comover e me dar um. Foi quando perdi a esperança que tu apareceste! Vinhas ao colo do meu pai, numa caixa de cartão. Disse-me ele que foste, das três manas, a que mais prontamente se chegou a ele. Claramente és abelhuda de nascença!

Minha pitoquinha, estás comigo desde as seis semaninhas e eu lembro-me da emoção que senti ao te pegar pela primeira vez. Não sabia o que fazer ou como reagir, eras tão pequena, tão frágil. Eu sei que na altura não demonstrava bem os meus sentimentos, mas era horrível ir para a escola e deixar-te em casa! Por isso, saía da mesma a correr e a primeira coisa que fazia quando voltava era procurar-te. Tu, tão pequenina, cor de caramelo com alguns detalhes brancos. Tão linda, tão marota! Ensinaste-me o que não aprendi na escola nem com outras pessoas. Ensinaste-me a ser paciente, a ser boa, a ser gentil, a ser responsável, a preocupar-me, a saber amar. Foram tantos ensinamentos que muitos deles não se descrevem com palavras, somente com atitudes e gestos!

Obrigada por continuares a aturar-me com paciência mesmo quando te pego ao colo de surpresa, te encho de beijinhos, de abano as orelhas e te dou palmadinhas nesse cu de pata!

Onze anos de muitas traquinices, momentos de fofura, dores de cabeça, companheirismo e amor! Parabéns Daisy! 

 

ps: Já lhe foi cantado os parabéns com direito a um queque e velinhas 

08
Out19

coisinhas que me deixam extremamente feliz #2

Hoje de manhã o Joãozinho foi a uma entrevista de emprego, mas eu não o pude acompanhar pois estava a trabalhar. Cheguei a casa e passei o resto da manhã cheia de cólicas (eu sou aquela pessoa que diz "naaah, não tomo comprimido, eu aguento a dor" mas depois vem aquela fisgada fodida e é vê-la com o rabinho entre as pernas à procura de um paracetamol). Mandei mensagem ao Joãozinho a dizer que precisavamos de ir ao supermercado buscar sumo e fiambre e ele respondeu que íamos antes do almoço, quando ele chegasse. Quase uma hora depois perguntei onde ele estava e ele respondeu que estava a chegar. Nesta altura já estava eu deitada na cama embrulhada no lençol e na coberta a tentar distrair-me com a minha leitura. Entretanto recebi uma mensagem dele a pedir que lhe abrisse a porta. Fiquei toda contente e fui assim meio para o corcunda abrir a porta. Quando a abri lá estava ele, com os fones pendurados nas orelhas e um saco do pingo doce na mão. O fofinho saiu do autocarro e foi sozinho ao supermercado sem me dizer nada para eu poder ficar em casa a descansar...

o estaminé

criado em agosto de 2019. no início chamava-se "ser de verdade", porém a pseudo autora decidiu que "uma longa história" assentava melhor, já que a sua vida era, de facto, uma longa história. aqui encontras pensamentos, desabafos, traumas, experiências, opiniões e um quê - mas só mesmo um quê - de idiotice

quem escreve

mariana ⋅ 23 anos ⋅ rainha do mau feitio ⋅ ex-nómada pelo mundo da blogosfera ⋅ apaixonada por escrita mas com sérios problemas em se expressar

mais sobre mim

baú

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D