Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

uma longa história

30
Dez19

em 2019...

Comecei a viver com o meu namorado
em casa dos meus pais, mas também conta, certo? Infelizmente ainda não temos possibilidade de ir para um espaço só nosso, mas esse é o nosso maior objectivo! Conviver diariamente com A pessoa torna tudo diferente. Melhorou imenso a nossa relação porque nos tornou mais cúmplices um do outro. Não há nada como ir dormir todas as noites e acordar todas as manhãs ao lado da pessoa que amamos!

Terminei as sessões de depilação a laser
pernas, virilhas, rabiosque e buço. Não posso dizer que fiquei totalmente satisfeita. No início fiquei pasmada com os resultados, porém hoje sinto que não valeu assim tanto a pena quanto isso

Fui pela primeira vez ao solário
e fiquei mega fã! Tanto que lá voltei mais vezes. A primeira vez fiz dez minutos, depois quinze e depois vinte. Ainda sinto um pouquinho de medo de estar lá dentro fechada... Tanto que chamo àquilo "caixão luminoso". Às vezes aquilo dava uns estalos e eu confesso que ficava o tempo todo toda cagada de medo que aquela merda quebrasse e eu morresse queimada. A parte boa é que tem música e é super relaxante (se não ouvirmos os estalos...)

Fiz um piercing num sítio inusitado
eu e o João fizemos, em conjunto, um piercing no dedo! Infelizmente numa ida às compras fiquei com o piercing preso na asa de um saco de plástico, o que fez com que ele ficasse um pouco feio e inchado. Depois de umas semanas decidi tirá-lo e o Joãozinho, solidário, tirou-o também. Foi sem dúvida o meu piercing favorito de sempre e voltaria a fazer sem pensar duas vezes!

Criei este blogue
na altura com outro nome. Já tive imensos blogues ao longo dos anos, mas quero que este seja o meu último. Sinto uma necessidade muito grande de "assentar" e começar a partilhar todos as minhas experiências num só lugar... E quero que esse lugar seja aqui, no Uma Longa História

Afastei-me das redes sociais
esta saiu-me furada. Confesso que tenho saudades do Instagram e tenciono voltar. Ontem fui novamente ao Tumblr e criei um Twitter. Confesso também que adorei ir de novo ao Twitter, embora aquilo esteja totalmente diferente e eu me sinta uma mulher de meia idade que acabou de descobrir a Internet

Deixei de me focar tanto nos outros
e também no que eles pensam. Até me sinto mais leve. Como sempre fui muito de agradar os outros, sempre tive medo de fazer algo que fosse contra a vontade deles. Foi este ano que comecei a pensar mais em mim! Também deixei de me sentir triste por causa das outras pessoas, por elas nem sempre me darem o valor que eu acho que tenho

Comecei a comer sem me sentir culpada ou paranóica
já fui muito obcecada com as calorias. Nunca fui propriamente magra, e como sou pequena, acho que isso se nota ainda mais. Em 2013 tive um relacionamento muito tóxico e acabei por "ganhar" quinze quilos. Desde então que perder peso se tornou mais complicado. Contudo, hoje sinto-me mais livre. Não me custa comer um chocolate. A vida é demasiado curta para rejeitarmos os pequenos prazeres que ela nos oferece!

Aceitei o meu corpo
finalmente consegui aceitar-me e deixar de me criticar a toda a hora. Como engordei muito, fiquei muito crítica relativamente ao meu exterior. Porque não era magra ou tinha o corpo bonito, porque não tinha um peito jeitoso, porque tinha estrias, etc. Mas hoje consigo aceitar-me. Consigo aceitar o meu corpo e entender que eu sou a única pessoa com a qual não posso estar zangada!

Matei o meu consumismo
ok, esta é relativa. É verdade que deixei de ir ao cinema e às compras todas as semanas (às vezes todos os dias...) e que hoje sei fazer uma selecção do que realmente preciso e do que apenas gostava de ter. Mas também é verdade que ainda preciso de melhorar muito

Afastei-me de toda a gente
um dia olhei à volta e percebi que as amigas já não estavam lá. Elas já não eram muitas, e do nada desapareceram. Os likes nas fotos do Insta continuavam... Isso sempre! Mas nunca recebia uma mensagem a perguntar se estava bem. As respostas às mensagens que eu enviava eram secas e mínimas. Sinto que eu era apenas a amiga que resolvia os problemas. Mandavam-me uma carrada de mensagens quando estavam na merda, e depois cagavam dois quilos em mim. Uma das minhas melhores amigas inclusive teve uma filha o ano passado e não só não me convidou para conhecer a miúda, como nem uma foto da criança me enviou. E isso doeu imenso, aliás, ainda hoje dói. Não só teve pouca consideração por mim, já que estive presente durante a gravidez e comprei presentes para a bebé, como teve pouca consideração pelos meus sentimentos, já que eu amava a filha dela de uma forma especial desde o dia em que soube que ela existia e nem tive a oportunidade de a conhecer

Aventurei-me no Lettering
contudo já não pratico há algum tempo. Não acho que tenha talento, mas também por isso é que treinava tanto. Stressava-me imenso porque eu sou um pouco perfeccionista e nem sempre as coisas saíam do jeitinho que eu queria, mas é uma atividade muito interessante que pretendo voltar a praticar

Voltei a tentar escrever o meu romance
e novamente bloqueei. Este romance mora na minha cabeça há cerca de um ano e até hoje ainda não consegui trazê-lo cá para fora. Eu achava que escrever era mais fácil, mas porra, não é. Já o tentei escrever em português e em inglês, pois leio em ambas as línguas, mas é muito complicado e acabo por ter brancas. Acho que isso também se deve ao facto de eu ter a história toda planeada na minha cabeça, e depois quando lhe quero dar vida, atrapalho-me, pois quero ir logo para o final...

Li como nunca
redescobri o prazer de ler e encontrei histórias fantásticas onde me perdi por completo

Consegui desfazer-me de muita tralha
inclusive de coisas que guardava há anos e que de certa forma significavam algo para mim! Ao desfazer-me de muitas coisas, comecei a questionar o valor das mesmas. Mas deixem-me frisar desde já que ainda estou longe de ser uma queen do minimalismo!

Comecei um mealheiro "a sério" com o Joãozinho
começamos em setembro e o objectivo era cada um colocar cinquenta euros por mês até dezembro de 2020 para conseguirmos amealhar mil e quinhentos euros e depois juntar essa quantia aos outros mil e quinhentos que temos numa conta poupança. Porém neste momento as coisas apertaram e como fiquei sem um dos trabalhos (o que me dava mais dinheiro), estamos em standby. Quero acreditar que com calma a coisa vai lá e vamos conseguir cumprir o "objectivo"

Ajudei a melhorar a vida de um cachorro abandonado
o meu Migo... Nunca o esquecerei! Falei sobre ele neste post. O Migo ensinou-me imensas coisas nas poucas horas que este comigo... E o melhor? Sem usar uma única palavra

Ajudei também a resgatar um outro cachorro abandonado
mencionei o pequeno aqui. Foi no dia em que escrevi esse post que soube que ele andava pelas ruas sozinho, aliás, foi por causa disso que o escrevi. Eu e o Bonito saímos e demos uma volta para ver se o encontravamos... Nada. Do dia 22 até ao dia 26 foram muitas as vezes que saímos de casa e andamos pela zona à procura dele, e foi no dia 26 que o encontramos. Andavamos à procura de um cão "modelo", porque só sabíamos como é que ele era por alto. Encontrámo-lo, mas não o conseguimos resgatar e ele passou mais essa noite na rua. Foi no dia 27 que soubemos que ele tinha sido apanhado pela senhora que deu o alerta sobre ele estar na rua. Neste momento o pequeno está numa casa, mas o seu futuro ainda é incerto. Por agora tem água, comida e uma cama. Já não passa frio, já não passa fome e já pode dormir descansado!

Mudei o visual
cortei o cabelão pelos ombros e ainda fiz uma progressiva. Estou a adorar. Ter o cabelo curto é tão mais fácil e acordar com ele sempre lisinho é das melhores cenas. A parte má é que agora tenho mesmo de secar o cabelo com o secador, e eu odeio fazer isso porque sou uma preguiçosa assumida

Fiquei noiva
eu quis tanto, mas tanto falar sobre isto! Por outro lado quis guardar apenas para nós os dois porque sentia que era uma coisa muito nossa. Aconteceu no dia 31 de agosto. Não foi como se vê nos filmes nem houve anel. Mas ele ajoelhou-se e eu chorei... Muito. Também não houve jantar depois disso, nem corremos para o Facebook para contar a toda a gente. Aliás... só a avó dele é que sabe. Falamos muito e decidimos que não queríamos contar a ninguém por enquanto, por isso pode se dizer que é uma espécie de segredo!

24
Dez19

é Natal

Diz que este é o primeiro Natal do blogue! 

Pessoas, cuidado com as possíveis espinhas do bacalhau e não abusem muito dos Ferrero. Aliás, pelo sim pelo não dêem-me os bombons a mim, não quero que vos aconteça nada!

Agora um bocadinho mais a sério, feliz Natal para todos vocês! Não vos desejo uma mesa recheada de doces e pratos estupidamente caros, porque isso para mim não é o que o Natal representa. Desejo-vos antes uma noite abençoada de amor e paz, muitas gargalhadas entre familiares e amigos, a lembrança daqueles que fisicamente já não se sentam à mesa e que o espírito de solidariedade perdure não só nestes dias, mas também nos outros todos. Beijocas!

22
Dez19

posso pedir-te um favor?

Não sejas um(a) filho(a) da puta. Tão simples quanto isso. Quer dizer, simples como quem diz... Sei que muitos não possuem capacidade para não o ser e outros tantos não sabem ser mais nada que não isso, mas tu entendeste-me. E quando digo tu, tu sabes bem quem és. És tu que não olhas para o lado, ou que olhas mas finges que não vês, que permites que um montão de situações terríveis aconteçam, que só te importas contigo e com o teu bem-estar.

Hoje mais um cachorro foi encontrado por aqui. Magro, sozinho, perdido, assustado. Ainda o tentámos procurar, mas ele já podia estar, literalmente, em qualquer lado. Sem sucesso. Chegar a casa com a sensação de derrota e impotência é fodido, sabes... Os cães não nos merecem. E o culpado? Tu. Tu que estás aí em casa de nariz empinado a achar que és melhor, mais importante, intocável. Tu que achas giro enxotar um cachorro, que achas giro fazer maldades, que achas normal abandonar um ser vivo à sua sorte, jogá-lo fora como se fosse uma meia rota que nem para limpar o pó serve.

Estamos no Natal, e foda-se, que nojo tenho eu de ter de dizer que estamos no Natal para te pedir boas ações. Mas és um(a) filho(a) da puta, então só mesmo assim. Estamos no Natal, sabes, aquela época em que, quando eras pequenino(a), esperavas que um velhote gorducho descesse pela chaminé. Aquela época em que tudo era colorido, cheiroso e reconfortante. Aquela época em que acreditavas na magia. Adivinha? A magia é real... Porém ela não é praticada por duendes, renas ou fadas... Não. Ela é praticada por pessoas reais, reais que nem tu. E a magia tem outro nome... So-li-da-ri-e-da-de. É uma palavra complicada, eu sei, também acho mais fácil chamar-lhe magia, mas de facto é quase a mesma coisa.

Sabes o que custa não ter água quente para lavar o corpo num dia de inverno? Não ter uma cama confortável e acolhedora para passar uma noite fria? Não ter comida para por no prato e, muitas vezes, nem prato ter para comer? Sabes o que custa não ter um casaco suficientemente quente para te resguardares do vento? Ou suficientemente forte para não te molhar da chuva? Sabes o que é ter uma dor de dentes, de cabeça, do período, de costas ou da barriga e não teres um paracetamol que seja para tomar? Consegues também fazer o sacrifício de tentar imaginar tudo isto sem poder pedir ajuda? Sentir dor, frio, fome, medo e não conseguir fazer nada contra isso?

É Natal, e aposto que na tua rua ou numa rua próxima há um ser vivo, seja ele qual for, a passar dificuldades. Há um ser vivo que precisa de ti, que precisa da tua ajuda. Sai à rua, olha à tua volta e vais encontrá-lo. E posso pedir-te somente uma prenda neste Natal? Quando o encontrares, não sejas um(a) filho(a) da puta.

11
Dez19

é só comigo?

Gosto da Primark. Um dia já a adorei, hoje fico-me pelo gostar.

Sempre que posso dou lá um pulinho, às vezes até só para cuscar o que por lá há, se bem que a maioria das vezes em que lá vou nunca encontro nada de novo.

A questão é... No outro dia (que é como quem diz há um bom par de meses) aconteceu-me algo estranho ao qual nem dei muita importância, só que ontem voltou a acontecer e deixou-me de olho aberto. Passo a explicar:

No início do verão comprei um kit de unhas com todos os utensílios necessários para tratar das mesmas. E como nesse dia também encontrei uma pinça com uma luzinha, que é só super útil, trouxe-a comigo. Só que, ainda com a pinça na embalagem selada, ao observá-la de perto pude perceber uns bichinhos minúsculos do lado de dentro da embalagem! Fiquei incomodada, por isso peguei na embalagem e deitei fora. Depois decidi observar também o kit de unhas, e também o kit tinha uns bichinhos iguais. Como não tinha aberto nada, parti do princípio que aquilo já vinha assim, então simplesmente relevei e mandei para o lixo. Não devia ter feito, devia ter ido à loja perguntar o que era aquilo, mas na altura não estava para chatices então deixei pra lá. Contudo, ontem decidi abrir uma embalagem de brincos que também havia comprado na Primark há umas semanas, e quando abri vi lá um bichinho igualzinho aos que tinha encontrado meses atrás na pinça e no kit de unhas! Desta vez fiquei mesmo chateada. Eu não sei que bichos são aqueles, mas não estou a ser picuinhas, pois não? São bichinhos, minúsculos bichinhos, mas eles existem e notam-se a olho nú. O que me deixou mais preocupada é que sempre comprei brincos na Primark... Uns embalados, outros não! Mas sempre comprei e usei.

Espero muito sinceramente que a roupa não venha assim também! 

Já aconteceu a alguém ou nunca repararam em tal coisa?

09
Dez19

nove de dezembro

Hoje quero escrever um texto leve, daqueles simples e carregados de sentimentos. Porque hoje é, nada mais nada menos, do que um dia extremamente importante.

Hoje comemoramos, juntos, o nosso quarto aniversário de namoro. Contra todas as expectativas, quatro anos já é muita fruta.

O nosso começo foi tão lindo e inesperado. Quase tirado de um livro de fantasia. Depois complicou. Aliás, foi complicado durante muito tempo. Erramos muito, pisamos muitas vezes o pé do outro nesta dança que é uma relação. Entretanto foi melhorando aos poucos... Sem nunca deixar de ser complicado, claro. E eu chorava, porque se realmente fosses tu o tal, não seria tão difícil. Mas eu sabia que eras. E do nada, este ano, bem lá no começo, tudo se transformou em algodão doce. Eu mudei, tu mudaste, ambos nos tornamos pessoas melhores um para o outro. Ambos largamos a espada e balançamos o lenço branco da paz.

Durante estes quatro anos aprendi muita coisa. Sobre ti, sobre o mundo, sobre a vida e até sobre mim mesma. Aprendi que não vale a pena fazer planos... Eles nunca se vão realizar ao milímetro! Aprendi a ser paciente, a ser menos egoísta. Também aprendi a ler sinais, a entender uma troca de olhares, a compreender o poder de uma palavra mal dita. Aprendi que a pessoa que nos leva ao céu pode, muitas vezes, jogar-nos lá de cima. E vai doer, mais do que bater com o dedo pequenino do pé na quina de um móvel. E porra, bater com o dedo pequenino do pé na quina de um móvel dói pra caralho. Mas de facto, somos apenas humanos, humanos que aos tropeços se esforçam diariamente para serem melhores. E a viagem de volta ao céu vai compensar totalmente os danos.

Sabes, eu sei que és tu. Foi diferente no primeiro beijo, no primeiro abraço. Eu sei que és tu porque tenho esta vontade louca de ser tua para sempre, até ao fim das nossas vidas. E depois, claro, assombrarmos os filhos da puta de quem não gostamos. Ninguém mais me faz sentir o que tu fazes... Me põe os cabelos em pé como tu, me acalma como tu, me dá prazer em viver como tu, me arranca sorrisos e gargalhadas como tu, me deixa a sonhar acordada com o futuro como tu. Porque se eu tenho futuro é graças a ti... Que chegaste, me abanaste corpo, ossos e órgãos, e me fizeste acordar.

Eu agradeço muito por te ter na minha vida. Agradeço a Deus, ao Universo, aos astros, ao alinhamento de planetas, ao acaso, ao destino, à sorte, ao que quer que te tenha colocado no meu caminho!

Parabéns a nós! 

Pág. 1/2

o estaminé

criado em agosto de 2019. no início chamava-se "ser de verdade", porém a pseudo autora decidiu que "uma longa história" assentava melhor, já que a sua vida era, de facto, uma longa história. aqui encontras pensamentos, desabafos, traumas, experiências, opiniões e um quê - mas só mesmo um quê - de idiotice

quem escreve

mariana ⋅ 23 anos ⋅ rainha do mau feitio ⋅ ex-nómada pelo mundo da blogosfera ⋅ apaixonada por escrita mas com sérios problemas em se expressar

mais sobre mim

baú

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D